Minha namorada deu pra outro!

Me chamo Pedro, tenho 23 anos. Sou moreno, barba rala, 1,75 de altura. Não sou bombado e nem magrinho. Acho que chamo atenção mais pelo meu papo mesmo! Sempre fui o “gente boa” da turma e as meninas da época do colégio vivam atras de mim devido a minha popularidade, acho que pelo fato de tocar bateria na banda do bairro. Muitas que eu pegava, confessavam que esse papo de amigo era uma tremenda armadilha minha, logo logo já estavam se apaixonando e eu aproveitando disso pra foder algumas… Hoje minha namorada me elogia muito, fala que eu saio de qualquer situação numa boa, com esse papo. Ela é bem gostosinha,tem 21 anos, cabelo cacheadinho, pele branquinha, 1,60 mais ou menos, coxas grossas e uma bundinha gostosíssima! Há algum tempo desenvolvi um tesão em imaginar minha namorada dando pra outro cara. Isso começou quando ela me falou das suas transas com seus antigos namorados. Logo perguntei se ela gostava, se o pau deles era muito grande ou grosso, fiquei cheio de dúvidas! Mas uma vez falei com ela que havia sonhado que ela participou de uma festa na faculdade e que as amigas dela aprontaram uma pra ela, fizeram ela transar com outro cara. Na verdade isso não era sonho, era um motivo pra começar a falar safadezas com ela pela net, já que era meio de semana, a gente não ia se ver e eu tava num tesão danado! Quando falei isso ela me perguntou o que tinha rolado, e eu disse: ” Ahh elas chamaram uns caras pro quarto e te levaram e ai vc já sabe né?!” Nessa hora ela falou :” Sei mas quero ouvir!” O meu pau inchou de tesão! Ela estava se interessando por esse assunto! Foi a brecha pra eu falar as putarias! Dai inventei mil coisas… E não paramos de contar essas histórias, sempre inventamos algo que um cara fode ela! Quando estamos transando ela sempre fala: “Me fode! Senão eu dou pra outro! Vc gosta que eu fale isso? Gosta? Safado!” Estávamos num clima muito legal, falando essas historinhas, putaria e tal. Nunca achei que pudesse passar disso, até que um dia ela veio me contar que pegou um táxi e o taxista deu de cima dela e ela ficou com tesão. Fiquei meio grilado, ela sempre pega táxi, pois trabalha se deslocando muito aqui no centro de BH. Vai que rola algo né?!

Dai eu disse que eu queria saber de tudo, caso rolasse. Ela ficou meio assim, por não saber se eu havia dito isso no calor do tesão. Até que um dia ela me chama no bate papo toda assanhada e no meio da conversa solta uma:

- Vc não me conhece.. eu sou santinha, mas do pau oco, e eu gooooosto de um pau..

-Mas vc ja tem o meu uai!

-ah, o seu é muuuuuuuito gostoso..

mas eu gosto de pular a cerca de vez em quando pra dar uma conferida na grama do vizinho e dar uma fudidinha com um pau diferente só pra variar um pouco. E essa semana tava com uma vontaaade..

Continue lendo

Castigada pelo irmão

Castigada pelo irmão- incesto

Para que vocês possam entender com mais facilidade, vou descrever a situação: meu nome é Lola, tenho 21 anos, sou branquinha com cabelos negros até o meio das costas, seios médios e uma bundinha bem empinada ;3    Eu tenho um irmão mais velho de 25 anos, seu nome é Mike, ele sempre foi o inteligente e mais querido da família. Ele é moreno, com um corpo lindo, mas um segredo que só eu sei, ele é um sádico dominador.  A historia que vou contar hoje, aconteceu no meu primeiro ano de faculdade (o ultimo dele). Nossos pais sempre foram muito ocupados, quase nunca paravam em casa, sempre viajando a trabalho, então Mike sempre cuidou de mim, me ensinava as matérias da escola, mas sempre foi muito rigoroso quanto minhas notas.   Um dia recebi uma mensagem de meu irmão dizendo: – Quando chegar em casa teremos uma conversa MUITO séria.

Continue lendo

No Le Rouge, meu sonho se realiza!

No Le Rouge

Sou um homem maduro, 55 anos, 1,87m, 92kg, poucos pelos bumbum arrebitado e 18cm de um belo pau, como aliás posderão ver em minha foto. Sempre tive uma vida sexual muito intensa!  saí com muitos casais, e tive belas mulheres.  Curti por duas vezes boas tranzas com bonekas bem gostosas!! Mas há  já algum tempo sentia um grande desejo de fazer uns rala e rola com outros homens, preferencialmente não muito dotados!! Fui, há quinze dias à sauna Le Rouge em são paulo, vi muitos homens, alguns muito interessantes!! e a pegação rolava solta, no entanto o único com o qual me senti identificado, foi logo embora… Ontem fui de novo, e depois de muito malho, de beijos e chupadas, estava tomando um banho para ir embora, quando no chuveiro ao meu lado apareceu um lindo jovem, mais ou menos da mesma altura que eu, pele morena clara e lisa, uma bundinha super legal, e um pau bem gostoso, embora me parecesse grande para as minhas pretensões!!

Continue lendo

Sexo do bom com o Marlon. Fim de semana intenso!

O molecão chegou podre de sono, como sempre. Ele é um cozido. Às 5 da manhã eu estava lá na rodoviária, e o ônibus dele chegou às 5:20. Foi um dos últimos a descer, me procurando com os olhos, cara amassada, cabelo bagunçado, mas lindo como sempre. Estava com uma blusa de moleton branca, calça jeans justinha, meio desbotada de fábrica, e fones de ouvido. Desceu as escadas sorrindo, tirando os fones, e veio me abraçar. Nossos rostos roçaram, ficamos tão próximos que nossos lábios quase se tocaram. A vontade de nos beijar ali mesmo era grande. Tá ficando tenso! Parece um magnetismo, uma corrente elétrica que corre entre a gente. Minha viga já endureceu na hora, só de sentir o cheiro dele, de ver seu corpo fortinho, sua cara de safado, me medindo. Ele foi pegar sua mochila com o motorista, que a tirava do bagageiro, e fiquei vidrado, vendo sua bunda gostosa, enquanto andava e se abaixava pra apanhar sua bagagem. O moleque está cada vez mais gostoso, cada vez mais homenzarrão. Ele deu uma encorpada nos últimos meses, culpa das pizzas e cervejas que temos ingerido ultimamente, e também porque ele mal vai à academia, tem ficado só nos jogos de futebol comigo toda quarta-feira, se bem que esse mês, já era. Mas ele não está gordinho, tá é roliço, gostoso, encorpado, mais bundudo ainda, com umas baita costas que me fazem arrepiar. Tá… sem camisa ele fica um pouco pançudo, rsrs, pouca coisa, mas fica, mas isso o deixa delicioso. Seus braços continuam fortes, e quando veste uma camisa polo, caraca, fica uma delícia. Prestes a completar 22 anos, tem deixado o jeito de moleque pra trás, e se revela um belo macho, daqueles de fazer as gatas virarem o pescoço, e isso noto toda vez que saio com ele. Faço muita mulher me encarar também, fico contente quando isso acontece, mas sair com ele, é covardia. O cara chama a atenção geral. Ainda mais depois da surpresa que ele me fez agora. Chegou com um penteado novo. Apesar do cabelo meio bagunçado, notei que ele tinha cortado as laterias do cabelo, deixando em cima mais alto. Não era mais o moicano comportado que ele usou por um bom tempo, mas foi algo bem moderno, e o deixou essa delícia que vocês podem ver na foto (só lá no blog). Ele viu que fiquei olhando pro cabelo dele, que tentava arrumar ao passar a mão.

-E, aí, curtiu o novo visual?

-Aham, falei sorrindo pra ele.

-”Aham” não é resposta, nem curtiu, né?

Continue lendo

MOLEQUE BOM DE BOCA

MOLEQUE BOM DE BOCA

sungafora-300x199-150x150Nada mais certo do que o ditado “pra cavalo velho o remédio é capim novo”.

Aos setenta anos, aposentado, nada a fazer a não ser curtir uma boa leitura e brincar com os netos que de vez em quando apareciam, eu já tinha, em termos de sexo, “pendurado as chuteiras”. Ou seja, não tinha mais energia; sendo mais claro, o pau já não levantava. Velho guerreiro, estava também aposentado. Ou era o que eu pensava.

Morando sozinho após uma viuvez precoce, eu tinha uma empregada que vinha de segunda a sábado e trazia o filho, um moleque magrinho e muito educado, que às vezes ficava quando sua mãe já tinha saído. Ficava vendo televisão, enquanto eu tirava a soneca da tarde.

Certa tarde de verão, eu estava dormindo, usando apenas um calção muito largo, quando senti uma sensação muito gostosa no pau. Meio adormecido, meio acordado, me dou conta de que estão chupando o meu pau. Quem? Ele, o moleque.

Continue lendo

Eu, Katarina e Filipe numa noite estrelada

CapturarEstava eu outro dia na estrada que leva para a floresta aqui atrás de casa quando de longe vi um casal vindo em minha direção. vinham rindo, de mãos dadas, meio que brincando um com o outro. jovens e obviamente apaixonados. andavam em zigue-zague, se beijando e se abraçando. fui andando na intenção de passar reto por eles, para não atrapalhar. fingi que não os vi mas a danadinha da katarina me reconheceu. pulou na minha frente.

– oi madame.

– oi, disse eu me recuperando do susto. sorri para ela e fiz um gesto com a cabeça para o rapaz que a acompanhava.

ela me respondeu passando a mão no meu ombro . sorrindo de volta. ele retribuiu com o mesmo gesto com a cabeça e abriu um sorriso contagiante. olhou para frente cerrando os olhos para impedir que a luz do sol o cegasse. era fim de tarde, aquela luminosidade meio sépia tomava conta dos campos. passou a língua nos lábios e eu fiquei congelada diante da beleza daqueles dois. katarina percebeu que eu havia ficado meio abalada.

- o que foi? provocou fingindo curiosidade.

– nada, respondi nervosa. eu, nervosa, a essa altura do campeonato!

Continue lendo