A primeira vez de M…

a primeira vezA Primeira vez de M…

Ola, me chamo Luan L, tenho 20 anos, 1,84 cm olhos claros, moreno. O fato que falarei pra vocês aconteceu em MG, evitarei falar o nome da cidade mas ela é do interior de MG. A pouco mais de 9 meses eu conheci a M… Ferreira, uma gata, cabelos cacheados, 1,59 cm um amor de pessoa.

Começamos a conversar por sms e marcamos de nos ver para nos conhecermos melhor. Ela ficava duvidando de mim, pq eu falava que minha pegada era boa e ela duvidava muito disso. Marcamos para nos encontrar em ‘tal’ dia atraz da igreja do bairro dela. Nesse dia chegamos no local e eu a vi sorrindo, era uma coisa linda uma princesa, tinha umas cicatrizes no rosto que só a deixava mais linda, eu diria que era o charme dela. Comecei a conversar com ela e não demorou muito pra gente começar a se pegar rs. Nunca havia recebido um beijo tao bom, e pra calar a boca dela, comecei a beijar puxando seu cabelo, depois a morder a orelha… Essa garota so faltou voar em minhas maos. Depois disso ficamos pensando se foi verdade e fomos embora. Min depois ela me manda sms falando que eu calei a boca dela fácil e que ela queria mais. E assim aconteceu por algunhas vezes no mesmo lugar, aquela pegaçao, bejos, sorrisos pegadas.

E viramos amigos colorido kkkkk o tempo passou e eu peguei muita intimidade com ela, um certo dia, ficando com ela no mesmo lugar resolvi arriscar, beijando ela peguei em sua bunda ( que por sinal é redondinha ) ela meio que nao gostou na primeira vez e tirou minha mão. Mas na segunda com o fogo do beijo o calor da pegada ela nao resistiu e deixou. Quando ela deixou eu pegar na sua bunda eu fui mais ousado e peguei em seu peito ( que cabia todo em minha mão ) ela nao gostou deu pra ver, mas nao falou nada a principio por estar excitada fisicamente.

Continue lendo

Deliciosa paixão dentro do ônibus…

deliciosa
Ela sempre pegava o mesmo ônibus que eu, sempre no mesmo horário. Já vinhamos trocando olhares, ela discreta, eu cara de pau. Hoje ela usava uma calça tipo montaria, marrom e bem justinha ao corpo. Não parava de olhar para a sua pequena, mas perfeita bundinha. Ela, era baixinha, mas usando calças coladinhas ao corpo, eu desejava comê-la. Mas não apenas transar, eu sentia vontade era de pegá-la de jeito. Tinha cabelos crespos, entre loiro com mechas pretas, até a cintura. Seus seios eram grandes, desproporcional com o tamanho do corpo. Sua boca era bem pequena. Não usava saltos e sim, sempre ficava de sapatilhas.

Ficamos na parada nos olhando, apesar de ser umas dez da noite, ainda dava para ver as curvas do seu corpo. Ela usava uma blusa de manga comprida preta, bem colada. Eu não queria chegar nela e comprimentar, para depois ficarmos de conversa. Eu queria tocá-la, passar minha mão nela, abusar dela. Seria fácil para mim. Mas e ela?

Nosso ônibus finalmente havia chegado, lotado como sempre, cheio de universitários saindo da faculdade. Me aproximei dela, onde nos olhamos sem parar. A fila era grande para entrar e eu fiquei exatamente atrás dela, e era o último a entrar, sendo que comecei a tocá-la bem comportado.

Primeiro, coloquei minhas mãos na sua cintura, bem carinhosamente. Ela me olhava e sorria. Isso para mim é um “sim”, claramente. E isso? Passei minha mão esquerda na sua bunda, bem de leve, apenas porque eu ainda estava nervoso. Não tendo nenhuma reação dela, passei com vontade minha mão “pesada” naquela bunda. Que delícia… Fiquei apalpando e esfregando minha mão na sua bundinha, pequena mas bem durinha. Aquela baixinha era bem gostosa!

Entramos num ônibus super apertado. Senti a mão da baixinha na minha, me puxando, para que eu ficasse perto dela. Aquilo me excitou de um jeito, que deixou meu pau duro, onde ia aumentando para o lado esquerdo. Como havia muitas pessoas, passamos a catraca e ficamos no meio do ônibus, onde exatamente fica a porta do meio. Como ela era baixinha, eu desci dois lances da escada e me encostei na porta. Ela desceu apenas um, ficando quase da minha altura. Ela me olhava toda apaixonada e eu a olhava com tesão. Nos beijamos ali mesmo, ela com os braços em volta do meu pescoço e eu segurando sua cintura.

   Beijava bem gostoso e molhado, usando sua língua bem forte, mais me engolindo do que tudo. Isso  me deixava insano! Estava de mochila e deixei do meu lado esquerdo, para tampar a visão. Olhei para as pessoas à nossa volta, que estavam ou de olhos fechados pelo cansaço ou conversando com outras pessoas. Passei minha mão direita nas suas coxas, olhando bem nos olhos daquela baixinha, que disse quase todo seu nome, não fosse por eu ter colocado minha mão entre suas pernas e massageava com vontade. Camila fechou seus olhos, equanto eu a bolinava. Como era gostosa!

   Eu, com meus 1,85 de altura, loiro e de olhos claros, a deixava doidinha apenas com a minha mão. Eu iria ter ela de qualquer jeito. Sei que ela desce uma parada antes da minha e seu pai sempre a esperava na parada. Falei no ouvido dela, para descermos uma parada antes dela. Ainda sem saber meu nome, aquela baixinha louca aceitou. Ficamos ainda nos beijando e eu a tocava, tantos suas coxas, quando entre suas pernas.

Chegando na parada que iríamos descer, esperamos que todas os outras pessoas fossem embora e começanos o nosso “pega-pega”. Nossas bocas se atracaram como se fossem ímas. Ficamos nos roçando com gosto, até eu colocar minha mão direita, dentro da sua calça, indo para dentro da sua calcinha, onde ela se afastou, de susto. Disse que era virgem e blá blá blá… Sentei no banco da parada, que era escura e colocando ela no meu colo eu disse:

“-Me faça gozar com o que você pode fazer!”

Ela sorriu com sua boca safada e perguntou meu nome. Respondi que se ela me fizesse gozar, eu daria meu nome e ainda a namoraria. Ela então me dei um longo e safado beijo, alisando meu cacete com suas mãos por cima da minha calça jeans. Depois abriu o meu zíper e delicadamente, tirou meu pau de dentro da cueca, batendo uma punhetinha gostosa. Tirou sua boca molhada da minha e caiu para o meu pau, tentando engolir a cabeça da minha rola grossa, todinha dentro da sua boca. Mamava forte e com tanta safadeza, que pensei que ela fosse muito experiente.

Depois de me deixar animadinho, ela sentou sua bunda em cima do meu cacete e começou a rebolar tão gostoso, que rapidinho iria gozar. Sua bunda era durinha e pequena, onde sua buceta ficava bem em cima do meu pau, roçando com força. Me olhava com cara de putinha, pegando minhas mãos e colocando por dentro da sua blusa, onde eu levantei seu sutiã e comecei a apertar seus belos e grandes seios.

Nosso amasso foi tão gostoso, que ela gemia baixinho, rebolando bem rapidinho e com força. Claro que eu comecei a jorrar minha porra na sua calça e ao ver que eu sujava sua bunda, ela fechou seus olhos e continuou a rebolar, com mais força. Eu gemia enquanto gozava, deixando meu pau duro, para que ela terminasse. Era tão bom ver aquela gostosinha rebolando em cima de mim, que fiquei impressionado em como meu pau ainda estava duro. Ela quicava sua bunda no meu pau, apertando minhas coxas com força e deu uma gemida tão alto e gostosa, que tive que segurá-la, pois estava exausta, tadinha.

Ficamos ali, ela em cima de mim, toda lambuzada com a minha porra, assim como eu. Disse meu nome à ela. Trocamos telefone e emprestei minha blusa de frio para ela, onde antes de chegar na sua parada, onde seu pai já estava a esperando, amarrou na cintura para disfarçar. Claro que eu nem fiquei por perto. A vi entrando dentro do carro do pai e depois vi seu carro saindo, onde ela me dava um discreto tchau com a mão e um olhar.

Estou doido que chegue amanhã. Quero encoxá-la dentro do ônibus e fazer mil e uma fantasias com ela!

Dois Homens numa Noite

A noite era fria e o tédio era enorme. A única saída talvez fosse um bate-papo no Facebook pra espairecer.

Já haviam se passado 48 dias desde o nosso ultimo encontro. Confesso que eu já estava começando a tirá-lo da cabeça. Mas o destino te faz lembrar… Ou vem o Facebook e coloca-o no seu topo do chat. A vontade é tão grande que você não se segura e acaba dando aquele oi. Duas emoções te percorrem: dúvida e tesão ao mesmo tempo.

E depois de uns minutos de espera e angustia, ele responde. Caio em suas garras novamente ou esquecia de vez? Eu continuei a conversa, e como de caso pensado, ele disse que estava cansado, que precisava de massagem. Provoquei! É pura natureza ser assim, mulher fatal, provocativa. Então eu respondi:

- Ah, se você veio pra descansar, então precisa de massagem mesmo!

Minutos de silencio, tempo de eu me enfiar no banheiro e me precaver de qualquer convite que eu possa ganhar. Estava online pelo celular, então liguei o chuveiro, arranquei a roupa e enquanto a água caia uma pausa pra olhar se tinha uma mensagem:

- Te pego daqui um pouco, vou me arrumar!

O susto foi tão grande que até os cabelos da minha alma se arrepiaram. Hora de se apressar e esperar a perdição da minha vida parar no portão. Em 10 minutos tomei banho e fui me arrumar. Eu estava bagunçada ainda, quando ele me mandou uma mensagem:

- To aqui na frente!

- Como assim? Que rápido! Me da cindo minutos pra trocar de roupa e eu já saio. – respondi.

- Pra que trocar, se eu vou arrancar tudo mesmo!

Em seguida, já no carro, querendo saber aonde a gente iria, ele vira pra mim e fala que tem um amigo que mora sozinho. Iríamos pra lá, pois ele emprestou a casa. Na hora meu sangue ferveu e eu percebi a intenção dele.

Chegando à casa do amigo, eu logo percebi que a casa não seria somente nossa. A intenção dele é que o amigo participasse da brincadeira. Mesmo não estando confortável com a situação, não deixei nenhum dos dois perceber minha frustração, meu medo ou meu nervosismo.

Conversamos muito e em determinado momento, eles começaram a me provocar para que eu entrasse no jogo. O problema é que eu estava com vergonha e sem saber o que fazer. Logo depois, o amigo dele saiu da casa pra fazer alguma coisa no quintal e ele me fez deitar na cama, debaixo das cobertas. Veio a calhar, estava um frio tremendo.

O amigo dele entrou de novo na casa e se deitou ao meu lado. Eu me senti a Dona Flor e seus dois maridos na mesma hora! Estava clara a intenção deles. Pensei: “Quer saber? Que se dane… Já estou aqui mesmo! Melhor se arrepender de algo que eu fiz do que ficar pensando em como poderia ter sido”. E ai me joguei numa transa com dois homens.

Beijei o amigo dele. Foi bom. Enquanto o amigo me beijava, ele tirava minha calça. Nessa hora os papéis se inverteram, ele veio me beijar e o amigo dele desceu pra me beijar lá em baixo. Meu corpo estremecia… Beijos e mais beijos em todo o meu corpo por duas bocas e duas línguas ágeis… Fui ao céu.

Meu homem, que eu já considero meu por todo prazer que me proporciona, tratou de enfiar na minha boca toda sua ereção. Recebi com todo prazer, com todo carinho, da melhor forma que eu sei fazer. Enquanto isso, seu amigo, mais que rápido já se encontrava dentro de mim com toda força. Eu nunca tinha feito aquilo, mas nunca me senti tão mulher como quando estava com os dois. Quando o amigo dele terminou, ele ainda estava na minha boca. Não perdeu tempo e escorregou pra cima de mim, me enfiando tudo, me fazendo gritar de tesão… Acho que até os vizinhos escutaram.

Eu segurava na cabeceira da cama, enquanto minhas pernas estavam nos seus ombros. Eu queria mais e pedia por isso. Ele me fez chegar ao orgasmo enquanto seu amigo olhava. Senti todo seu gozo em cima de mim quando ele gritou junto comigo.

Pausa para um banho, ainda sentindo orgasmos múltiplos. Fui para debaixo do chuveiro, me sequei. Não queria perder tempo! Dois homens ali pra mim, eu precisava de mais… Aquilo me deixou insaciável.

Sai do banheiro, pendurei meu sutiã na escada. Eis que o amigo me lança um desafio:

- Duvido me fazer gozar com a boca!

Ah, não! Não acredito que ele fez isso comigo!Tem-se algo que eu odeio é quando me desafiam. Eu aceitei. Comecei fazendo bem devagar, do jeitinho que eu sei que eles gostam. Coloquei-o todinho na minha boca, senti lá na minha garganta! Estava adorando aquilo… Adorando o ver tremer e gemer. Ai senti uma mão fazendo carinho na minha bunda. Gostei daquilo. Ele veio que veio me comer enquanto eu chupava o amiguinho dele.

Com toda disposição, quanto mais ele me comia, mais eu engolia o amigo dele. Trocamos de posição e o outro veio direto para entrar por trás. Ele foi tão carinho, veio tão devagar… Que não teve como recusar. Depois que já estava lá dentro, enfiou com toda força que podia. Eu não parava de chupar meu lindo e perfeito que gritava de excitação. Senti coisas que nem sei explicar. Minha bunda estava vermelha, com marcas de dedos, estava com roxos pelo corpo, mas estava adorando a sensação de ter dois homens ao mesmo tempo dentro de mim. E os dois gozaram lá.

Depois, meu lindo me fazia carinhos no cabelo, deitado comigo na cama. Seu amigo pegou o violão e começou a cantar. Que voz linda! Não poderia ter terminado de jeito melhor! Os dois cantando pra mim músicas românticas depois de um sexo incrível.

Eles me deixaram em casa depois da noite maravilhosa que tivemos. As marcas ficaram feito lembranças.
Autoria: Anna M. – 28/05/2013

Minha namorada deu pra outro!

Me chamo Pedro, tenho 23 anos. Sou moreno, barba rala, 1,75 de altura. Não sou bombado e nem magrinho. Acho que chamo atenção mais pelo meu papo mesmo! Sempre fui o “gente boa” da turma e as meninas da época do colégio vivam atras de mim devido a minha popularidade, acho que pelo fato de tocar bateria na banda do bairro. Muitas que eu pegava, confessavam que esse papo de amigo era uma tremenda armadilha minha, logo logo já estavam se apaixonando e eu aproveitando disso pra foder algumas… Hoje minha namorada me elogia muito, fala que eu saio de qualquer situação numa boa, com esse papo. Ela é bem gostosinha,tem 21 anos, cabelo cacheadinho, pele branquinha, 1,60 mais ou menos, coxas grossas e uma bundinha gostosíssima! Há algum tempo desenvolvi um tesão em imaginar minha namorada dando pra outro cara. Isso começou quando ela me falou das suas transas com seus antigos namorados. Logo perguntei se ela gostava, se o pau deles era muito grande ou grosso, fiquei cheio de dúvidas! Mas uma vez falei com ela que havia sonhado que ela participou de uma festa na faculdade e que as amigas dela aprontaram uma pra ela, fizeram ela transar com outro cara. Na verdade isso não era sonho, era um motivo pra começar a falar safadezas com ela pela net, já que era meio de semana, a gente não ia se ver e eu tava num tesão danado! Quando falei isso ela me perguntou o que tinha rolado, e eu disse: ” Ahh elas chamaram uns caras pro quarto e te levaram e ai vc já sabe né?!” Nessa hora ela falou :” Sei mas quero ouvir!” O meu pau inchou de tesão! Ela estava se interessando por esse assunto! Foi a brecha pra eu falar as putarias! Dai inventei mil coisas… E não paramos de contar essas histórias, sempre inventamos algo que um cara fode ela! Quando estamos transando ela sempre fala: “Me fode! Senão eu dou pra outro! Vc gosta que eu fale isso? Gosta? Safado!” Estávamos num clima muito legal, falando essas historinhas, putaria e tal. Nunca achei que pudesse passar disso, até que um dia ela veio me contar que pegou um táxi e o taxista deu de cima dela e ela ficou com tesão. Fiquei meio grilado, ela sempre pega táxi, pois trabalha se deslocando muito aqui no centro de BH. Vai que rola algo né?!

Dai eu disse que eu queria saber de tudo, caso rolasse. Ela ficou meio assim, por não saber se eu havia dito isso no calor do tesão. Até que um dia ela me chama no bate papo toda assanhada e no meio da conversa solta uma:

- Vc não me conhece.. eu sou santinha, mas do pau oco, e eu gooooosto de um pau..

-Mas vc ja tem o meu uai!

-ah, o seu é muuuuuuuito gostoso..

mas eu gosto de pular a cerca de vez em quando pra dar uma conferida na grama do vizinho e dar uma fudidinha com um pau diferente só pra variar um pouco. E essa semana tava com uma vontaaade..

facebook

Continue lendo

Castigada pelo irmão

Castigada pelo irmão- incesto

Para que vocês possam entender com mais facilidade, vou descrever a situação: meu nome é Lola, tenho 21 anos, sou branquinha com cabelos negros até o meio das costas, seios médios e uma bundinha bem empinada ;3    Eu tenho um irmão mais velho de 25 anos, seu nome é Mike, ele sempre foi o inteligente e mais querido da família. Ele é moreno, com um corpo lindo, mas um segredo que só eu sei, ele é um sádico dominador.  A historia que vou contar hoje, aconteceu no meu primeiro ano de faculdade (o ultimo dele). Nossos pais sempre foram muito ocupados, quase nunca paravam em casa, sempre viajando a trabalho, então Mike sempre cuidou de mim, me ensinava as matérias da escola, mas sempre foi muito rigoroso quanto minhas notas.   Um dia recebi uma mensagem de meu irmão dizendo: – Quando chegar em casa teremos uma conversa MUITO séria.

facebook

Continue lendo

No Le Rouge, meu sonho se realiza!

No Le Rouge

Sou um homem maduro, 55 anos, 1,87m, 92kg, poucos pelos bumbum arrebitado e 18cm de um belo pau, como aliás posderão ver em minha foto. Sempre tive uma vida sexual muito intensa!  saí com muitos casais, e tive belas mulheres.  Curti por duas vezes boas tranzas com bonekas bem gostosas!! Mas há  já algum tempo sentia um grande desejo de fazer uns rala e rola com outros homens, preferencialmente não muito dotados!! Fui, há quinze dias à sauna Le Rouge em são paulo, vi muitos homens, alguns muito interessantes!! e a pegação rolava solta, no entanto o único com o qual me senti identificado, foi logo embora… Ontem fui de novo, e depois de muito malho, de beijos e chupadas, estava tomando um banho para ir embora, quando no chuveiro ao meu lado apareceu um lindo jovem, mais ou menos da mesma altura que eu, pele morena clara e lisa, uma bundinha super legal, e um pau bem gostoso, embora me parecesse grande para as minhas pretensões!!

Continue lendo